sexta-feira, 5 de fevereiro de 2010

em jeito de provocação

Como ninguém respondeu a nenhuma das 3 perguntas que coloquei neste blog, devo deduzir que:
1) Felizmente, não há animadores, realizadores, produtores e técnicos de animação sem trabalho neste canto do mundo.
2) Ninguém faz a menor ideia de quantos profissionais a animação portuguesa pode comportar.
3) Está toda a gente nas tintas para planificação do futuro.
Esperemos que no fórum a participação seja maior.
Obrigado, Davide.

[Ler mais...]

Fórum da animação entra em cena

Informamos que foi adquirido um domínio para acolhimento do fórum que agora se anuncia. Este é a fase de arranque do fórum, pelo que devemos considerá-la experimental, sendo que será gradualmente adequado às dinâmicas e expectativas geradas.

Podem desde já registar-se e passar a contribuir activamente para a consolidação deste movimento. Mais, solicita-se que os mais avisados em matérias de funcionamento e gestão de fóruns, vão propondo sugestões que visem a sua optimização.

www.caminhospranimacao.com/forum/

Comunica-se ainda que em breve trecho este blog, que esperamos continue a gerar um diálogo construtivo, transitará para o domínio acima referido, a par com o presente fórum.

Numa terceira fase, espera-se que, também a curto prazo, seja editada uma base de dados sobre a animação, contendo informação sobre todos os profissionais – construída com base nas listagens fornecidas por Eva Yebenes, Casa da Animação e outros agentes do sector.

Desde já obrigado a todos!
Vanessa e Davide

[Ler mais...]

Workshops (não profissionais)


Dado que, compreensivelmente, o grupo da Formação, não faz intenções de se preocupar com os diversos workshops não profissionais de Cinema de Animação (com crianças, jovens, 3ª idade, ...) que tem vindo a ter lugar em Portugal há, pelo menos, 25 anos, gostaria de lançar aqui o repto de se constituir um novo grupo de trabalho sobre este assunto específico.

Assim gostaria de vos fazer, a TODOS, 3 perguntinhas muito simples:

1 - Já fizeram (orientaram ou participaram) em algum workshop de Cinema de Animação?

2 - Em que data foi esta vossa primeira experiência? e a última?

3 - Conhecem alguém, ou alguma instituição, que faça (oriente), ou tenha feito (organize), algum destes workshops? (por favor listem todos os que conhecerem pessoalmente e, se possível, convidem-nos a participar directamente neste Blog, ou no nosso futuro Fórum).

E finalmente gostaria de saber se há algum voluntário para fazer parte deste novo grupo de trabalho para se poderem definir os objectivos a atingir, elaborar um novo questionário e coordenar as informações que vierem a ser disponibilizadas.
Desde já agradeço os vossos comentários, que espero da parte de TODOS.

[Ler mais...]

quinta-feira, 4 de fevereiro de 2010

O buraco da agulha

Pelos caminhos, a animação portuguesa atravessa a desolação de um deserto criado pela presente e já longa crise económica que flagela o mundo. E neste cenário, seria tudo muito mais aceitável se o mundo não hesitasse tanto em tomar as medidas necessárias para eliminar de raiz as crises de que padece. Assim, no meio da desolação, evidencia-se uma certeza: pior que isto só o nada! Esta circunstância, proporciona contudo uma oportunidade inusitada: no exercício de animar, os portugueses podem deixar de fazer parte da equação do problema, para poder começar a fazer parte da solução. Com isto, quero dizer que, se com a penúria actual as melhores oportunidades da animação já estão de certo modo perdidas devido à limitação de recursos, o melhor que há a fazer é começar a animar para que as oportunidades que surjam no futuro gozem de um melhor cenário. Como? - poderão perguntar. Com mais e melhor, digo eu, sabendo à partida as dificuldades inerentes às duas condições. Fazer mais animação, resolvendo os problemas que lhe impedem o crescimento. Quero dizer que, se com a penúria actual as melhores oportunidades da animação já estão de certo modo perdidas, o melhor que há a fazer é começar a animar para que as oportunidades que surjam no futuro sustentem um melhor cenário. E fazer melhor, por condição inerente a qualquer arte, por piores ou excelentes que sejam as obras já feitas.

[Ler mais...]

quarta-feira, 3 de fevereiro de 2010

polémica e pioneirismo


Um tópico que penso ser de debate interessante é a polémica da acessibilidade às cópias de filmes via downloads, tidos por ilegais por uns, e por direito por outros. Esta questão é pertinente na medida em que, nas minhas andaças na net, já encontrei links de filmes de animação portuguesa E estou certo que mais cedo ou mais tarde, por efeito do mérito ou da massificação, outros certamente começarão a passar por esse processo. Pessoalmente, sou adepto do direito. E decorrente da liberdade dessa escolha, tive acesso a este precioso documento, que dificilmente teria oportunidade de ver doutra forma.
Com assinatura rapidshare ou sem ela, vale bem a pena a paciência de baixar e ver Winsor McCay: The Master Edition (1911-1921).

[Ler mais...]

Quem somos? Donde viemos? Para onde vamos?

Gostaria de deixar aqui para todos 3 perguntas que considero importantes:
- Há actualmente desemprego na animação em Portugal?
- Que potencial de inserção tem o sector?
- Que grau de desenvolvimento será o adequado ao nosso País?

[Ler mais...]

Posts esquécidos.

Boa Tarde a todos, sou do grupo de Formação, e notei que o blog só mostra sete posts na primeira página. Queria pedir a alguém, a quem seja permitido editar o blog, que melhore essa capacidade pelo menos até que sejam feitos os links para os forums dos diverços grupos. De forma a que posts mais antigos não fiquem esquécidos.
Muito obrigado

[Ler mais...]

Um fórum de Animação Portuguesa

Foi falado no encontro e não sei se a sua construção já está em curso, mas vim hoje desenvolver um pouco mais esta ideia de um fórum português de animação.

Porquê um fórum?
Antes de mais, porque não? Não temos nenhum.

E depois, seria uma forma de todos os profissionais de animação se reunirem a nível nacional e se conhecerem ainda melhor. Como forista que fui durante anos, conheço o potencial dos fóruns de aproximar as pessoas. E estando unidos pela mesma causa, ainda melhor!

Lá, com a participação de todos, poderíamos discutir assuntos de forma organizada, desenvolver ideias e muito mais. Sinto que num fórum as opiniões das pessoas num determinado assunto não se perderiam. Aqui no blog, por exemplo, se alguém escrever num post antigo que já não esteja na página principal, o mais certo é que ninguém leia esse comentário. É um pouco como se estivéssemos a “falar para o boneco”… Ao passo que, num fórum, sempre que alguém escreve num determinado tópico, este passa para primeiro lugar na página para que todos saibam que foi actualizado. Se esse comentário merecer resposta, o assunto desenvolve durante mais tempo.
Imagino que a dinâmica e a actividade de todos seria muito maior.

Desta forma, o blog “Caminhos para a Animação Portuguesa” tornar-se-ia meramente informativo e mais objectivo em relação ao melhoramento do futuro da animação em Portugal. Tudo o mais seria para o fórum, limpando o blog de quaisquer assuntos não relacionados com o objectivo.
E assim como no blog, era importante a participação de todos no fórum, pois este não seria mais do que uma espécie de extensão do blog.

Não sei o que acham da ideia de um fórum, mas a mim entusiasma-me! :)

Se o fórum for em frente, é preciso pensar na forma como vai ser organizado.
Faria sentido uma secção sobre os caminhos para a animação portuguesa, em que se dividiam os vários sectores em sub-fóruns: realizadores, animadores, produtores, formação, etc, etc.
Depois propunha uma outra secção que abrangesse outros assuntos onde os foristas pudessem descontrair e falar sobre de tudo um pouco, como por exemplo da indústria do entertenimento, da actualidade, etc. Ou seja, uma secção de “Off-Topic” onde vale tudo (ou quase!) – todos os fóruns necessitam de uma assim. ;)

Uma secção sobre “Anúncios” também seria interessante. Aqui no blog até já foram feitos vários e essa secção serviria para o efeito. Todos poderiam anunciar também as suas próprias exposições, e outras que tais, mantendo todos informados e com maiores probabilidades de aderirem.

Se gostarem do conceito, dêem mais ideias de como organizar o fórum. :)

[Ler mais...]

terça-feira, 2 de fevereiro de 2010

Informação sobre Planos de Estudos com animação / Portugal 2010


Olá, boa-noite.

O grupo de trabalho FORMAÇÃO tem vindo a compor uma lista com a oferta formativa disponível em Portugal, aberta ou a abrir durante este ano de 2010.

Uma cópia do documento em pdf (e ainda em processo) pode ser obtido no seguinte link:

Chamo a vossa atenção para o curso que irá abrir em Setembro na ESEC da Universidade do Algarve.

[Ler mais...]

Espace Projets ANNECY 2010


Estão abertas as candidaturas ao "Espace Projets" do Festival de Annecy.

Lembro que foi neste espaço que Os Salteadores (1989) e a História Trágica com Final Feliz (2001) encontraram os seus primeiros apoios internacionais.



[Ler mais...]

segunda-feira, 1 de fevereiro de 2010

fly guy

Interactividade divertida.

[Ler mais...]

hoogerbrugge

Sítio de um senhor que gosto de revisitar, de vez em quando.

[Ler mais...]

ética e carapuça

Não sei se este sector alguma vez alcançará um desenvolvimento e uma capacidade de organização associativa capaz de estruturar em si um conselho ético, em caso de necessidade. Tendo em conta tudo o que já vi, penso que haveria toda a utilidade em que isso pudesse um dia ser possível. Mesmo sem qualquer poder legislativo ou punitivo, os pareceres desse órgão serviram, no mínimo, para assinalar à navegação futura os exemplos fracturantes que se demonstraram nocivos ao sector, e que consequentemente, seriam de evitar para o futuro. Mas com certeza que, se a alguma vez chegar a existir, o dia de um conselho de ética dos profissionais da animação portuguesa está seguramente distante. Por isso, não posso deixar de registar aqui um apelo ao profissional que, desde os encontros de Montemor, tem insistentemente tentado obter informações que são confidenciais sobre um contrato que a Animanostra tem com um estúdio prestador de serviços: que faça o obséquio de não meter o nariz em negócios que não são da sua conta.

[Ler mais...]

domingo, 31 de janeiro de 2010

a dicotomia emprego/desemprego

Tenho desde há alguns anos o hábito de, quando algum jovem talento se me apresenta em busca de trabalho em animação, apresentar-lhe algumas luzes sobre o enquadramento económico desta profissão em Portugal. Falo-lhes então dos desafios que se lhes oferecem enquanto jovens, e dos problemas que irão enfrentar quando, com o tempo, tiverem de assumir mais responsabilidades sem que haja mudanças no sector. Tenho uma sincera admiração sobre os que, apesar dessa informação, persistem no seu empenho. E lamento com sinceridade, quanto não tenho qualquer trabalho onde possa aplicar esses exemplos de empenho e talento.
A propósito da formação da animação, penso que o problema, para além das propostas apresentadas pelo grupo de trabalho, tem de ser perspectivado um enquadramento mais abrangente. Para todo e qualquer efeito prático, o “livro branco” e o “esmiuçar” dos caminhos tem de equacionar com o mínimo de proporcionalidade o equilíbrio entre o que o País produz e o número de gente formada. Só assim se evitam os riscos de, ou de haver trabalho e não haver quem o faça, ou de haver muita gente para o fazer e não haver trabalho.
Penso pois que será importante definir os interesses do sector. E esclarecer se o que interessa é manter o status quo das condições presentes, ou mudá-las. E se for para mudar em que sentido? E como o fazer? Pragmaticamente, e sem rodriguinhos.
No caso específico da formação, se o documento final do grupo de trabalho não for capaz de demonstrar a lógica social de eventuais propostas de mudança, pouco adiantamento poderá alcançar no estado actual da arte. Por outro lado, devia ser evidente que estabelecer o ICA como destinatário final do documento é um tremendo erro de pontaria. A menos que fique claro que o ICA será um meio para chegar onde importa: ao público, através da comunicação social, e às mais altas instâncias do governo, de forma a proporcionar efeitos práticos à lógica das conclusões.
Proponho pois que o resultado dos grupos de trabalho, antes de serem apresentados seja a quem for, sejam sintetizados numa proposta global, fruto dos caminhos da animação.


[Ler mais...]