quinta-feira, 1 de abril de 2010

CARTA ABERTA AOS CAMINHOS


Pessoalmente, jamais ousaria denunciar de incompetência qualquer profissional com que tenha trabalhado. E tenho trabalhado com todo o tipo de gente. Qualquer consciência que possa ter sobre a incompetência de qualquer pessoa com quem possa trabalhar tem um único acto de resposta: não o fazer mais! A luta pelo pão é árdua e a lei da evolução demonstra de que não se devem fazer disparates.

Questionar socialmente a competência profissional dos outros é um assunto muito sério que requer uma isenção moral inquestionável que, perdoem-me as almas mais sensíveis, não me é possível subscrever como creditação aos grupos de discussão dos caminhos da animação. É um processo inquisitório que não subscrevo a ninguém, nem nenhum dos grupos foi constituído para esse fim, em Montemor. A avaliação de competência de qualquer pessoa que, em boa fé, se inscreve nestes caminhos do cinema é absoluta e perigosamente disfuncional para todo o sector. Nessa pretensão, o que se faria depois com os resultados? Começariam as purgas? Zut canhoto!

Assim, reservando o meu juízo quanto às competências profissionais da animação portuguesa no domínio privado, declaro desde já que me desligo de qualquer conclusão que possa advir desse processo.

1 comentário:

Rui BG disse...

Era a tua mensagem do dia das mentiras? ;)